Um Blog é uma janela escancarada...

Aberta a janela da alma, descrevi muito mais que simples sentimentos, convido a todos para viajar neste meu vício, versar sobre tempo,solidão, amor, injustiças, coerências e incoerências de tantas vidas, tantos sonhos e por vezes desilusão...

Renata Rimet

quarta-feira, 17 de março de 2010

Os hoyalties lá de casa...

       Entendo a dificuldade orçamentária do estado, como boa dona de casa, sei quanto disponho mensalmente para despesas do lar, sei como é difícil ocorrências extras num orçamento que precisa de equilíbrio para não entrar no vermelho, ainda assim satisfazer necessidades de todos que habitam este espaço...



       Os hoyalties por aqui são distribuídos milimetricamente, não temos luxo e não sobra nada para um fundo de reserva e eventuais contra tempo, vivemos assim, um dia de cada vez, esperando com cautela o final do mês...


       Analisando a situação de quem perde inesperadamente uma fatia daquilo que era certo, olho para minha casa, filhos, marido e pergunto...quem deverá ficar com a menor cota de benefícios ou a quem caberá a maior cota de sacrifício?

       Do alto de panelas e vassouras, tento desvendar mistérios da economia brasileira...




imagens: http://www.dicasecia.com/wp-content/mulher0986784.jpg
 http://4.bp.blogspot.com/_LNMeFPkkTQo/SD7uAtpFdiI/AAAAAAAAABc/6zjsxwuqWP0/s320/002.jpg

Renata Rimet

11 comentários:

  1. Também quero Royalties... O interessante é que o Brasil é uma "República Federativa", a União é dona de todas as riquezas que forem encontradas no subsolo etc.

    Compreendo que a renda gerada pelo petróleo deve, sim, ser rateada entre todos os estados membros da federação; entendo que o Governo Federal deva coordenar as ações políticas e econômicas de forma MACRO, para não penalizar estados fracos (como Acre, Amapá etc) e tirar dos mais ricos (Rio, São Paulo) para fazer uma economia equitativa...

    Vejo os cariocas preocupados com a perda de mais de CINCO BILHÕES POR ANO, caso a lei de redistribuição dos royalties seja aprovada; vejo o povo do Rio fazendo passeata, abaixo-assinado etc... MEsmo não concordando que o Rio fique com toda a renda do pré-sal, aplaudo a mobilização popular naquele estado para defender o que eles acham que é certo...

    E vejo o resto do Brasil apenas assistir, sentado na poltrona, ou torcendo o nariz para toda essa discussão... Uma pena que a gente não se sensibilize para defender os NOSSOS DIREITOS...

    Valdeck Almeida de Jesus
    Escritor, Poeta e Jornalista

    ResponderExcluir
  2. A economia brasileira é mais do que mistérios.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Seu blog está uma gracinha!! E..., falando em economia doméstica, hoje em dia nao basta ser somente mulher (como se esse "somente" já nao fosse o bastante), devemos ser economistas, contadoras, e às vezes, um pouco mágicas!!!

    Aproveito para convidá-la a visitar meu blog: http://geyme.blogspot.com/
    Parabéns! Aquele beijo!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu blog, obrigado por me convidar mas infelizmente moro no sul do Brasil e dou aulas todos os dias.
    Mas, desejo muito sucesso neste empreendimento.
    Abraços do escritor
    Estevão Machado Athaydes
    e
    Lecy Cardoso

    ResponderExcluir
  5. Os donos das empresas de transportes(caminhões) não fazem passeatas, assim também os donos de redes de postos de gasolina, os construtores de návios, os donos das empresas de manutenção de návios e máquinas envolvidas na extração do petróleo e outros grandes empresários que serão beneficiados com o pré-sal. Quem está na passeata são as pessoas que não vão ver o cor do pré e nem do sal.

    ResponderExcluir
  6. Oi!! Feliz em receber os comentários,

    desde que postei o texto desejava levantar a questão, o problema esta ai, muitos cruzam os braços, dizem que nada tem com o assunto, na verdade envolve a todos, ademais...para onde vai o dinheiro, não é??? Não pretendia tomar partido com o texto, apenas mostrar que precisamos dar o nosso famoso "pitaco".

    Valeu, voltem sempre

    ResponderExcluir
  7. A dona de casa é graduada,mestra e doutora em economia.Formada na prática pela vida e muito bem retratada em seu texto.

    Gostei muito Renata,parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Vindo de vc, tal texto não me surpreende.
    Continue sendo essa escritora que ver o mundo muito além do que ele é, e viva a Brasil Casual

    ResponderExcluir
  9. Concordo com tudo isso, as riquezas do subsolo pertencem a nação, não apenas a alguns, o negócio é distribuir, contribuir retribuir. O que está havendo no Rio neste momento, é uma tentativa de se estabelecer uma crise política, todos sabem contra quem, no mais é discurso bairrista, o resto do brasil também quer ser beneficiado, tenho certeza de que será encontrada uma fórmula democrática para isto, afinal o petróleo é nosso, opss!

    Levantar a bandeira da dona de casa economista é bastante importante, mas existem homens como eu que fazem a mesma coisa e ninguém fala nada. Snif, snif...

    ResponderExcluir
  10. Fantástico texto, Renata! Simples, reflexivo e muito bem escrito. De fato, fica a dúvida: o que sobra para a dona-de-casa? Só o trabalho, o sacrifício, a labuta e ainda servir de conselheira e de ouvinte. Realmente complicado! Parabéns pelo seu blog!

    ResponderExcluir
  11. Maravilha tudo por aqui, gostei. Parabens. Indicarei nas minhas páginas, aguarde.
    Beijabrações
    www.luizalbertomachado.com.br

    ResponderExcluir